05
Mar 13

Chegámos novamente à época de exames... E após termos recebido todo o material de estudo em formato digital, muitos de nós não conseguiram evitar a impressão para levar os slides para as aulas e tomar apontamentos ou, agora, para estudar ou usar nos exames com consulta.

 

Existem muitas alternativas de equipamentos para leitura de documentos em formato digital que permitem a realização de comentários, mesmo em pdf. No entanto, continua a existir o velho hábito de sentir e cheirar o papel ou, até mesmo, o receio do uso indevido das comunicações que este tipo de equipamento permite aos alunos durante as aulas ou durante um exame com consulta. É necessário inovar para a sustentabilidade! E a nossa Pós-graduação em Gestão da Sustentabilidade poderia dar o exemplo e ser pioneira no incentivo aos alunos no uso desta opção.

 

No entanto, há que avaliar a verdadeira sustentabilidade do recurso à versão digital, referindo que só compensa ao fim da leitura de vários livros. Logo, a sustentabilidade da opção só depende do utilizador.

 

Descobri um video interessante que apresenta esses factos:

 

Bom estudo! {#emotions_dlg.blink}
Por: Liliana Pereira
publicado por greentalks às 23:59

25
Fev 13

Um material de construção criado no Brasil promete minimizar os impactos gerados pela construção civil no mundo inteiro. A alternativa é equivalente à argamassa e reduz a produção de entulho, o uso de água, cal e areia para levantar paredes.

A Massa DunDun é uma cola utilizada para fixar os tijolos e sua aplicação é mais sustentável do que a argamassa, já que o produto não gera resíduos, mantém as obras limpas e combate o desperdício de muitos recursos que se transformariam em entulhos.

Indicado para vedar paredes erguidas com vários materiais – como concreto, tijolo convencional, cerâmica e tijolo ecológico, o produto é um fluido que também promete reduzir os esforços físicos dos operários e aposentar as betoneiras.  

A criação ganhou o “Prêmio Inovação e Sustentabilidade”, realizado pela CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção). De acordo com uma pesquisa elaborada nos EUA, até 50% dos recursos naturais do planeta são consumidos pela construção civil, uma das atividades de desenvolvimento mais predatórias do mundo

publicado por greentalks às 12:24
sinto-me:

21
Fev 13

A Câmara Municipal de Estarreja colocou em prática um projeto de reaproveitando de uma antiga lixeira, desativada em 1998, com uma área total de cerca de 6 hectares; a ideia é fazer nascer uma zona dedicada à energia renovável (painéis fotovoltaicos), ao mesmo tempo que a autarquia torna rentável uma área de dimensão considerável que estava economicamente desaproveitada.

 

Foi já apresentada uma proposta de arrendamento das parcelas de terreno pelo valor de 1.605€ /hectare /ano, o que resultará num encaixe financeiro anual de cerca de 9.600€. Uma compensação que alcançará os 240 mil € durante o prazo previsto de 25 anos, pois o contrato de arrendamento vigora pelo período de 25 anos, renováveis por períodos de 5 anos.

 

Aí está uma boa ideia que poderia ser ampliada a outros municípios!  {#emotions_dlg.smile}

 

 

Por: Victor Coelho

publicado por greentalks às 12:12

19
Fev 13

 

 

"A organização britânica Carbon Trust criou um sistema de certificação do uso sustentável da água que reconhece o esforço, por parte das empresas, na redução anual do consumo de água e na produção de efluentes."


Como poderão verificar através do site, já há algumas grandes empresas com esta certificação.


http://www.carbontrust.com/client-services/footprinting/footprint-certification/carbon-trust-water-standard

 

 

Por: Ricardo Ferreira

publicado por greentalks às 16:29

17
Fev 13

Era este o mote da campanha da Sociedade Ponto Verde (SPV) em 2000. Na minha opinião, o melhor anúncio publicitário de sensibilização para a reciclagem de sempre!

 

Foi muito polémico na altura, dado que comparava todos os "preguiçosos" para a separação de embalagens, a um chimpazé. Muitas pessoas ficaram incomodadas, mas foi o que deu notoriedade à SPV e o que fez com que muitos iniciassem a separação de resíduos, dado que também coincidiu com a expansão dos ecopontos a nível nacional.

 

Só para relembrar:

 

E separem muito! {#emotions_dlg.blink}
Por: Liliana Pereira
publicado por greentalks às 00:20

15
Fev 13
Numa altura em que as empresas integram cada vez mais a sustentabilidade nas suas estratégias é interesse perceber quais são as principais competências dos profissionais da sustentabilidade.

 

Há dias soube da existência do estudo “Sustainability: Dynamics Drive Professional Growth” e achei interessante partilhar convosco.

Tal como sucede noutras áreas as competências de comunicação lideram o ranking e embora as "hards Skills" sejam importantes são as "soft skills" que marcam a diferença.

 

 Segue o Summary Report abaixo:
publicado por greentalks às 18:56

10
Fev 13

Não estranhem o título! Trata-se do slogan de um projeto inovador de Carnaval sustentável no Rio de Janeiro, ora vejam:

 

 

Designa-se por "Xixi elétrico" e pretende incentivar os foliões a usarem urinóis específicos que possuem um sistema apto a transformar a urina em energia elétrica. Esta energia será usada para alimentar as baterias responsáveis pelo funcionamento dos trios elétricos.

Trata-se de um sistema semelhante à produção de energia hidroelétrica em barragens, mas em vez de água, usa-se urina. Para incentivar os utilizadores, o urinol do "xixi elétrico" acende luzes quando está a ser utilizado.

 

Deste modo, contribui-se para redução de um problema de saúde pública que ocorre durante o Carnaval no Rio de Janeiro - os foliões urinarem na rua - e, consequentemente, consegue-se a diminuição do mau cheiro e das detenções por urinar na rua.

 

Bom Carnaval! {#emotions_dlg.blink}
Por: Liliana Pereira

publicado por greentalks às 18:48

08
Fev 13

Vai haver um webinar (free!!) sobre modelos de negócio baseados na sustentabilidade.

Os speakers são um professor do MIT e um consultor da BCG.

É no dia 14.02

Eu vou tentar assistir.

 

http://click.bsftransmit7.com/ViewInBrowser.aspx?pubids=433%7c82597%7c611390%7c659808&digest=PGZXxjuCh3FC8pAiJ7kvaw&sysid=1

 

Joao

publicado por greentalks às 09:14

07
Fev 13

Como sou adepto do mergulho, e das coisas que mais me entristece é ver a poluição marítima e a falta de cuidado (educação) das pessoas que deixam lixo nas praias, decidi-me por divulgar a atividade do artista (e surfista) João Parrinha, cujo projeto iniciado em 2005 consiste em recolher lixo do fundo do mar, em praias de vários pontos do mundo, e reutilizá-lo para criar peças de arte, “aliando a vertente ambiental à vertente artística, mostrando que é possível fazer reciclagem de forma criativa”.

Juntamente com Luis de Dios e Xandi Kreuzeder, fundou o projeto internacional “Skeleton Sea” que pretendem chamar a atenção para o problema planetário iminente da poluição ambiental no mar.

 

Aqui ficam as fotos de duas obras e o link para quem queira saber mais. 

 

http://www.skeletonsea.com/

 

  

 

Por: Victor Coelho

 
publicado por greentalks às 17:39

"Sustentabilidade: uma exigência do futuro" é o mote da próxima edição das Jornadas de Engenharia do Ambiente do IST.

 

Decorrerá nos dias 13,14 e 15 de Fevereiro no auditório do Centro de Congressos do IST e divide-se em 4 painéis chave: o  Valor do Território Português, A  Nova Era da Mobilidade, Smartcities e o Papel das Autarquias e Start-ups: Da ideia à Empresa.

 

Uma iniciativa bem interessante organizada pelos próprios alunos do Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente. A não perder!

 

 

 
 
Helena Gameiro
publicado por greentalks às 00:00
tags: ,

31
Jan 13

Trata-se de um video viral que já tem uns anitos, mas que continua bastante atualizado, uma vez que fala do consumismo exagerado que atualmente praticamos, assim como das suas consequências.

 

Annie Leonard defende a sustentabilidade no consumo numa perspetiva de ciclo, tal como já foi referido diversas vezes nas nossas aulas. No entanto, nunca é demais relembrar como funciona o sistema, assim como os seus inputs e outputs.

 

De acordo com Annie Leonard, a única forma que temos de evitar que este sistema continue é o de agirmos, um a um, ao simplesmente deixar de comprar coisas de que não precisamos. Parece simples, não é?

 

Preparados para ajudar a criar algo novo?

 

 

Por: Liliana Pereira

publicado por greentalks às 15:14

Partilho convosco a notícia que li relacionada com a invenção de painéis fotovoltaicos autocolantes. Um grupo de engenheiros da Universidade de Stanford, nos EUA, desenvolveu uma tecnologia que permite criar painéis solares finos, flexíveis e autocolantes que se podem colar em qualquer superfície, “desde simples cartões-de-visita a janelas”. Parece-me que esta invenção poderá revolucionar (e generalizar) a geração de energia fotovoltaica, uma vez que até à data a utilização de painéis fotovoltaicos era condicionada pela sua rigidez e impossibilidade de adaptação em determinadas circunstâncias de suporte / superfícies.

Segundo o artigo, e para produzir estes autocolantes fotovoltaicos, os engenheiros criam uma espécie de sandes feita de silicone, dióxido de silicone e metal. Para isso, colocam primeiro uma película de níquel sobre uma bolacha com duas camadas de silicone. Uma fina película com células solares é, depois, depositada na camada de níquel e coberta com um filme protetor. Por fim, os investigadores colocam uma fita térmica sobre a película de células fotovoltaicas, para poderem fazer a sua transferência para outras superfícies.

Aguardemos pelo desenvolvimento desta técnica, na esperança que a mesma possa corresponder ao referido no comunicado, nomeadamente “a sua comercialização será muito simples e de baixo custo”. A ver vamos…

Deixo o link para quem queira ler a notícia e/ou o comunicado da Universidade de Stanford.

 

http://boasnoticias.clix.pt/mobile/noticias.php?id=14269

 

Por: Victor Coelho

publicado por greentalks às 11:34

27
Jan 13

Sabiam que jardins ou hortas no topo dos edifícios podem ajudar a poupar energia e, ainda, fornecer alimentos para as cantinas das empresas? A experiência está em curso em quatro edifícios, em Londres, e, se tiver sucesso, poderá ser alargada a toda a cidade.

 

As plantas são colocadas em sistemas modulares construídos com materiais recicláveis. Os vegetais produzidos irão abastecer as cantinas das empresas e os desperdícios alimentares destas serão, por sua vez, transformados em fertilizante para as plantas do telhado. Para garantir a polinização, cada telhado tem também uma colmeia.


"Este é um projeto verdadeiramente inovador que não só trará um benefício económico tangível às empresas, como também mostra que se importam com o ambiente em que se inserem"


Que tal proporem hortas para os telhados das empresas em que trabalham?Seria vantajoso para os trabalhadores, que poderiam descarregar os stresses do dia a dia nas plantinhas e ao mesmo tempo teriam uma alimentação mais saudavel. A empresa também  poupa energia e protege o ambiente.


Parece-me uma grande ideia a explorar por Portugal!

 

Boa semana verde

Margarida Mendes{#emotions_dlg.happy}

publicado por greentalks às 23:09

25
Jan 13

Olá!

 

Sem querer tornar simples o que não é... Decido partilhar convosco um site interessante que disponibiliza calculadoras das mais variadas categorias de pegadas ecológicas (conservação e eficiência, transporte, reciclagem, etc).

 

http://www.yousustain.com/footprint/actions

 

Ter números às vezes ajuda-nos a sensibilizar os outros para determinadas matérias. E a questão da eficácia percebida é de facto importante...

Experimentem...!

 

 

Por: Margarida Boavida Ferreira

publicado por greentalks às 19:19

Caso tenham curiosidade em obter resposta a esta pergunta, a Agência Portuguesa do Ambiente tem um simulador que vos permite saber o vosso nível de consumidor sustentável. E, ao mesmo tempo, dá-vos dicas sobre como se poderão tornar mais sustentáveis:


http://simula-residuos.apambiente.pt/




Bom consumo!

 

 

Por: Liliana Pereira

publicado por greentalks às 13:53

24
Jan 13

Decidi colocar aqui o site sobre um produto que uso todos os dias, que visa reduzir a nossa pegada ecológica.

 

http://www.keepcup.com/

 

 

 

Para um consumidor assíduo de café e chá durante o trabalho, o uso deste recipiente evita o recursos itensivo de copos de plástico e até mesmo colheres.

 

Tive conhecimento deste produto através da equipa onde trabalho, que decidiu oferecer no natal um produto associado à sustentabilidade.

 

 

Aqui poderão verificar de uma forma mais rápida todos os factos que sustentam este produto.

 

http://www.keepcup.com/sustainability/fast-facts

 

 

Ricardo ferreira

publicado por greentalks às 13:17

Lembrei-me de partilhar convosco este vídeo do youtube, que mostra a nova estrada que liga a Dinamarca à Suécia. É de facto uma obra de engenharia notável, e acredito que o seu percurso seja não só bonito como aventureiro (a avaliar pelas imagens). A questão que coloco é: será uma obra sustentável, especialmente do ponto de vista ambiental? Não será demasiado intrusiva para a paisagem? Se tivessem a responsabilidade de decidir a realização (ou não) do projeto, que decisão tomariam? Eu ficaria muito indeciso… Felizmente não tive essa responsabilidade e certamente farei esta viagem se tiver oportunidade!

 

 http://www.youtube.com/embed/4T4vc1QqiPM?feature=player_embedded 

 

Por: Victor Coelho

publicado por greentalks às 10:34

23
Jan 13

Com intuído de promover a sustentabilidade, Rita Bragança e Leandro Fans encontram-se a preparar uma viagem à volta do mundo numa autocaravana Mercedes 307D de 1984 movida a óleo vegetal alimentar. O óleo será usado em estado puro sem adição de químicos diluentes como no caso do biodiesel.

 

 O projeto chama-se Green Brick Road e, desta forma, o casal luso-uruguayo espera visitar cerca de 50 países percorrendo uma rota de quintas orgânicas que fazem parte do projeto World Wide Opportunities on Organic Farms, onde através de voluntariado terão oportunidade de aprender novas técnicas de agricultura e conhecer novos exemplos de boas práticas na preservação da biodiversidade.

 

O início da aventura está previsto para o próximo dia 15 de Fevereiro e os interessados em acompanhar a viagem podem segui-los através do blog http://greenbrickroadproject.wordpress.com/.

 

Para quem pretende conhecer boas práticas de construção, design e gestão ambiental sem prescindir do conforto convido-vos a conhecer o exemplo do grupo Alila - http://www.alilahotels.com/ que para além de pretenderem reduzir ao máximo o impato ambiental estimulam os clientes a conhecer a natureza e as comunidades locais.

 

 

 

Considero a sustentabilidade no setor do turismo um tema apaixonante, desde logo, e citando o meu professor de Geografia tendo como fonte a memória “Se não preservarmos a riqueza que visitamos, hoje, ela vai perder valor, amanhã e em última instância desaparecer”.

 

 

Fonte: http://greensavers.sapo.pt/2013/01/22/portuguesa-e-uruguaio-vao-dar-volta-ao-mundo-em-autocaravana-movida-a-oleo-vegetal-alimentar-usado/

 

Helena Gameiro

publicado por greentalks às 18:14

21
Jan 13
 
 
De forma a sensibilizar o público para o tema das alterações climáticas, a WWF Canada criou um call center composto apenas por avós para recordar aos "netinhos" que devem utilizar camisolas e roupa quente para estar em casa e assim reduzir ...a energia gasta com aquecedores.

É possível agendar a realização de uma chamada ou envio de um email ou sms para uma das avós, sendo também possível nomear as nossas avós para uma "vaga" neste "call center"...

Vale a pena descobrirem mais sobre o conceito em: http://www.sweaterday.com/
 
Por: Carolina Afonso
 
 
publicado por greentalks às 16:42

 

 

 

 

A Plataforma para o Crescimento Sustentável é uma associação independente que funciona numa perspetiva de participação pública, existindo diferentes grupos de trabalho a desenvolver matérias específicas, como é o caso da sustentabilidade. 

Entre as suas atividades encontra-se a realização de eventos, a ministração de formação e a publicação de relatórios sobre estas matérias.

 

Recentemente foi publicado o Relatório para o Crescimento Sustentável - Uma visão pós-troika que está disponível para download através do site:

 

http://www.crescimentosustentavel.org/actividades/publicacoes/relatorio

 

Por vezes as situações de crise podem alterar as prioridades dos Governos e, consequentemente, das organizações e das populações. Este relatório defende, entre outros, que o crescimento não se pode basear somente numa perspetiva de consolidação orçamental e resgate económico, justificando que a sustentabilidade visa, entre outras coisas, a economia.

Por este prisma, é possível conciliar a preocupação ambiental e social com o fator económico, podendo-se concluir que esta deve ser encarada como uma fase de oportunidades para a sustentabilidade!

 

Esperemos que sim! {#emotions_dlg.blink}

 

Por: Liliana Pereira

publicado por greentalks às 12:22

Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


subscrever feeds
Sobre o Blog
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO