06
Fev 12

 

Como já muitos sabemos, e como queremos que muitos mais saibam, investir em politicas ambientais é sinal de poupança.

 

Apresento o caso da Quinta da Marinha Resort que com a politica ambiental adoptada, recebeu a certificação de Eco-Hotel, poupando assim cerca de 21mil€.

 

A politica rege-se pela optimização da gestão de energia, consumo de água, gestão de resíduos, segurança, licenciamento e conformidade ambiental e permitirá reduzir substancialmente os diferentes consumos.

 

Paulo Figueiredo, director de operações dos hotéis do grupo na Quinta da Marinha, salienta que: “Esta certificação é o reconhecimento do compromisso que o Grupo Onyria Golf Resorts assume com a sociedade em geral e com os nossos hóspedes em particular. Para obtermos esta certificação, tivemos de cumprir com eficácia um conjunto de mais de 160 requisitos, que permitirão ao hotel uma poupança anual na ordem dos €21 mil”

 

Foi importante também o empenhamento dos colaboradores, onde obtiveram formação interna, no âmbito da gestão e boas práticas. Sendo treinados na gestão dos recursos energéticos e resíduos e em procedimentos de segurança como gestão de evacuação de edifícios, procedimentos em caso de incêndio, suporte básico de vida, formação de manuseamento de equipamentos de segurança.

 

Não sendo o primeiro Hotel Português a adoptar este tipo de politicas, não deixa de ser importante e esperançoso, que encontramo-nos no caminho certo para um País mais sustentável e preocupado com as gerações futuras.

 

Fonte: http://www.greensavers.pt/2012/02/06/quinta-da-marinha-resort-vai-poupar-e21-mil-r-473-mil-com-certificacao-ambiental/

http://en.wikipedia.org/wiki/Eco_hotel

http://www.quintadamarinha.com/~informat/pages/politicaambiental.php?lang=1

 

Por: Sofia Marques

 

publicado por greentalks às 22:43

Não, não serve par fazer levantamentos de dinheiro mas para fazer dépósitos de telemóveis!

A ecoATM é uma máquina automatica que recicla telemóveis. O processo é simples: o cliente insere o telemóvel na máquina e ela avalia e atribui um valor ao aparelho. Se o telefone tiver um valor de revenda, o cliente ganha um crédito da loja ou poderá doar a quantia à caridade. Caso não tenha nenhum valor de revenda, os clientes poderão optar por deixar simplesmente o aparelho e é assim reciclado. 

 
A primeira ecoATM foi instalada em Omaha (EUA) e no primeiro dia foram recolhidos 23 aparelhos.
Existe a possibilidade de alargar a opção para outros produtos eletrónicos, como MP3 e câmaras digitais. 
 
Mais uma opção de reciclagem, e ou de recuperar algum valor.
 
Fonte: Mundo do Marketing
 
Por: Paulo Cardoso
publicado por greentalks às 18:22

Há uma grande confusão à cerca do tema e o filtro tem de ser cada vez mais astuto. Eu diria que a Responsabilidade Social e Corporativa é como o iogurte da Danone: 

constrói-se por dentro, e isso vê-se por fora.

 

O que pensar deste anúncio? 

 

 

Por João Pereira Reis

 

publicado por greentalks às 16:03

Para fazer o post anterior encontrei o video que se segue... Adequado ao tema da nossa última aula de P_mkt_Sus ;)

 

Cristina Sofia Ferreira

publicado por greentalks às 12:15

Neste últimos meses, por motivos profissionais, tenho-me dedicado ao estudo e pesquisa de casos de inovação social
utilizando práticas sustentáveis. Daí os meus post parecerem todos iguais... e estar com um feitio parecido com o da Mafaldinha do Quino Eh... eh... eh...

Desde a nossa última aula de Inovação e Produtos Sustentáveis que me ando a questionar como em locais sub-desenvolvidos, em guerra ou vítimas de catástrofes naturais as populações, que sobrevivem, purificam a água no meio do nada ou do caos. Em conversa posterior com um dos membros “Os amigos de Inharrime – Moçambique” http://amigosinharrime.blogspot.com/, em Portugal, foi-me explicado que ou fervem a água ou utilizam produtos naturais locais. Fiquei esclarecida!

 

Nós, população dos países ocidentais, estamos dotados de ferramentas tecnológicas que nos permitem resolver essa questão de modo high
tech, com  muito código binário à mistura, sofisticação, design, complicação, pessoas e dinheiro à mistura. Já estamos tão “costumizados” nesses processos de inovação que o modelo quase faz parte do nosso código genético.

 

Mas se reverem o vídeo abaixo vão reparar que se fala de “Equilibrio” como chave para resolver algumas das questões colocadas pelo aumento da população mundial e pelo paradigma do desenvolvimento sustentável. E quilibrio, neste caso, significa também todos terem acesso ao mesmo tipo de condições básicas de vida e desenvolvimento pessoal e social.

 

 

Sabemos que se toda a humanidade começasse a produzir como nós, na europa, o planeta não conseguia responder à demanda da
humanidade. É isso que andamos todos a aprender… Então voltando ao inicio…

 

Todos nós já vimos imagens de campos de refugiados na televisão. Todos nós lamentamos o grau de precariedade de vida das pessoas que lá estão a tentar sobreviver. Lembram-se por exemplo do tsunami do Natal de 2004?!...

 

A quem se dedique a achar soluções inovadoras e sustentáveis para resolver ou minorar a degradação de vida dos refugiados de modo eficiente e rápido. Porque numa catástrofe natural ou num conflito armado, a rapidez com que se dá apoio à população é uma das chaves do sucesso das operações. (também já vimos isso na TV, certo?)

 

Nader Khalili era um arquiteto e humanista americo-iraniano (faleceu em 2008) que também via televisão e pensou fazer alguma coisa. E, dentro daquilo que eram as suas capacidades profissionais, arranjou uma forma inovadora, sustentável, barata, fácil, acolhedora e rápida de resolver o problema de falta de abrigo nos campos de refugiados: casas em super adobe!

 

O seu projecto é apresentado no site CAL EARTH - http://calearth.org/ e deixo aqui um vídeo que explica o proceso de construção em SUPER Adobe...

...em 14 línguas...

 

Cristina Sofia Ferreira

publicado por greentalks às 12:01

A Nissan lançou esta campanha para o seu Nissan Leaf - carro 100% eléctrico - através da agência TBWA, EUA.

 

Mas o "zero" de emissões não verídico. Apesar de ser um carro eléctrico, a electricidade também tem as suas fontes de energia...mas sempre é melhor que nada - "...because zero is worth more than nothing".

 

 

Tiago Pires

publicado por greentalks às 11:20

Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
17

22

29


subscrever feeds
Sobre o Blog
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO