23
Fev 12

 

 

Numa altura em que tanto se fala de marketing de causas, deixo-vos as conclusões de um estudo americano, realizado pela Cone Communications, em 2010.

 

Oitenta e três por cento dos consumidores desejam mais dos seus produtos, serviços que beneficiam causas, segundo o estudo 2010 Cone Cause Evolution.

 

Os consumidores esperam que os negócios continuem a cumprir sua responsabilidade social mesmo durante uma recessão (81%), sendo que 64% dos consumidores assumem que a resposta das empresas às questões ambientais e sociais foi a adequada.

 

O relatório também conclui que 41% dos consumidores compraram um produto no último ano porque estava associado a uma causa social ou ambiental, um duplo aumento desde que a Cone começou a fazer benchmarking de campanhas de marketing de causa, em 1993.

 

O Marketing de causas continua a ganhar peso na decisão de compra dos consumidores, de acordo com o estudo. 88% dos entrevistados, dizem ser aceitável que as empresas envolvam questões ou causas em seu marketing, 85% têm uma imagem mais positiva de um produto ou empresa quando este suporta uma causa com a qual se preocupam, e 80% são susceptíveis a mudar de marca, semelhante em preço e qualidade, para uma que apoie uma causa.

 

No que respeita a novas marcas, 61% dos entrevistados afirmam que estariam dispostos a experimentar uma nova marca ou que fosse desconhecida para eles, e 46% gostariam de experimentar marcas genéricas ou marcas próprias. O estudo também mostra que quase um em cada cinco  consumidores (19%) estaria disposto a comprar uma marca mais cara.

 

“O posicionamento da marca voltado para uma causa é uma óptima oportunidade para que as companhias ampliem a actuação para além dos seus mercados e ampliar a exposição a potenciais novos mercados,” diz Alison Da Silva, vice-presidente executivo da Cone.

 

Detalhando um pouco mais o estudo, este conclui que as mães e jovens (18-24 anos) são os consumidores mais conscientes com as causas.

95% das mães, acham aceitável o marketing de causas (contra a média de 88%), e 92% desejam comprar um produto para apoiar uma causa (vs. Média de 81%).

 

Os jovens são mais propensos a trocar de marca (93% vs. média de 80%), e compraram mais produtos de causas no ano passado do que qualquer outro grupo (61% contra média de 41%). Noventa e quatro por cento dos jovens pesquisados consideram o marketing de causa aceitável (versus média de 88%) e mais da metade (53%) comprou um produto que beneficia uma causa este ano (contra a média de 41%).

 

O apoio de uma empresa a questões sociais ou ambientais também apresenta alguma importância para as decisões desse grupo fora das lojas, incluindo as decisões de onde trabalhar (87% contra média de 69%) e onde investir (79% contra média de 59%), de acordo com o estudo.

 

Segundo a agência, os consumidores americanos também desejam que as empresas continuem a priorizar o apoio a questões das comunidades locais (46%) e regionais (37%), embora eles (17%) comecem a reconhecer a necessidade de enfrentar problemas globais.

 

As principais causas que os consumidores desejam que as empresas apoiem:

  • Desenvolvimento Económico: 77%
  • Saúde e doenças: 77 %
  • Combate à fome: 76%
  • Educação: 75%
  • Acesso à água potável: 74%
  • Catástrofes: 73%
  • Meio Ambiente: 73%

 

*Artigo publicado no site Bio2: http://www.bio2.com.br/Artigo.aspx?id=3915

 

Adriana Jacinto

publicado por greentalks às 19:54

Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

MARKETING DE CAUSAS

Sobre o Blog
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO