21
Jan 12

Com os crescentes níveis de poluição na cidade de Milão, uma empresa italiana na área de arquitectura Stefano Boeri Architetti concebeu um edifício apelidado Bosco Verticale, que pretende abordar as novas construções de edifícios urbanos tendo em focu a regeneração do ambiente e da biodiversidade urbana, não necessitando de uma expansão territorial (especialmente nos grandes centros urbanos onde os valores por m2 de terreno é um dos principais entraves existência de mais espaços verdes).

 

 

 

Irá ser constituída por duas torres residenciais de 110 e 76 metros de altura, onde irá ser plantado ao longo dos vários pisos cerca de 900 árvores.

Para igual número de árvores teria de se ter uma área de floresta de aproximadamente 10.000 metros quadrados.

São números impressionantes, se tivermos em conta que numa cidade, se forem construídos 30 edifícios idênticos, teríamos uma área equivalente de área florestal de 300.000 metros quadrados, ou seja uma faixa de 1km de floresta entre Lisboa e Porto.

O Bosco Verticale ajuda na criação de um microclima e na filtragem das partículas de poeira contidas no ambiente urbano. A diversidade das plantas e suas características produzem humidade, absorvem partículas de CO2/poeiras, produzindo oxigénio e proteger da radiação e poluição sonora.

 

 

Fonte: http://www.stefanoboeriarchitetti.net/

 

 

By David Fonseca

 

publicado por greentalks às 14:41

10
Jan 12

Encontra-se em construção, tendo já sido iniciada em 2009, a primeira cidade do mundo que pretende ser 100% sustentável. Uma cidade construída de raiz que está planeada para ocupar uma área de 6 quilómetros quadrado, num quadrado perfeito.

 

 

Estima-se que após a sua completa conclusão 2025, venha a ter 45.000 pessoas a habitá-la e contemple cerca de 1.500 empresas, numa grande maioria empresas ligada área da sustentabilidade. A utilização dos carros no interior da cidade é proibida, estando dotada de uma rede subterrânea de transportes públicos eléctricos, garantindo que em qualquer ponto da cidade não se fica a mais 200 / 250 metros de um ponto para apanhar transportes públicos. A mobilidade fica a cargo do «RTS» que é 100% movido a energia solar e é controlado por ímãs.  Um computador pode rastrear e monitorar onde todos os pontos que estão no sistema, de modo a rota mais eficiente é tomada.

 

Toda a sua construção foi meticulosamente efectuada, pensando na redução ao máximo do consumo energético. Sendo uma cidade perto de Abu Dhabi , as temperaturas em pleno dia chegam a atingir os 65ºC, mas a sua estrutura foi pensada para impedir a entrada dos ventos quentes do deserto  e em ruas estreitas que ajudam a canalizar as brisas frias em toda a cidade.

A energia para fornecer esta cidade será 90% obtida por painéis solares que atingirá 130 megawatts. Serão igualmente estabelecidos parques eólicos fora do perímetro da cidade capaz de produzir até 20 megawatts.

 

 

O transporte e dessalinização da água para abastecimento da cidade é efectuado através de energia solar, que se estima vir a ter um consumo 60% menos que em comunidades idênticas. A reutilização da água será feita na totalidade, para rede de campos de cultivo agrícola.

Resíduos biológicos serão transformados para criar nutrientes para solo e fertilizantes, Resíduos industriais,  como plásticos e metais  serão reciclados . As madeiras utilizadas na cidade são de coqueiros, obtidas em plantações em que os coqueiros já não dão frutos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Masdar significa "fonte" em árabe. Masdar está a ser construída, para ser muito mais que uma cidade sustentável, mas para num futuro próximo ser a fonte da inovação, conhecimento e desenvolvimento do capital humano nas áreas de energia renováveis, sustentabilidade e tecnologias limpas. 

 

 

By  David Fonseca

 

publicado por greentalks às 09:23

Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre o Blog
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO