10
Jan 13

A próposito da observação da Liliana lembrei-me da campanha de marketing de apresentação do Skip Pequeno e Poderoso e dei por mim a perguntar-me...

 

Se o futuro é dos pequeninos como é que nós humanos tendemos a preferir todo o que é grande, vejamos só a evolução dos nossos padrões de consumo... os carros, as casas, os roupeiros e o que mais se lembrarem...

 

Fomos ensinados que as pessoas bem-sucedidas são aquelas que mais consomem... Não acham?

 

Nas palavras de José Saramago que muito admiro:

 

"Introduziu-se nas nossas mentes essa ideia nova de que, se não consumirmos, são somos nada. Se não consumirmos, não somos ninguém. E somos na medida em que formos capazes de consumir. A partir do momento em que o ser humano se vê a si mesmo como um consumidor, todas as suas capacidades diminuem, porque todas vão ser postas ao serviço de uma maior possibilidade de consumir" 

 

 

A partir dai começei a pensar, se o futuro é dos pequeninos como é que estamos a educar as nossas crianças e jovens...

 

E voltei a lembrar-me de Saramago, numa citação entre muitas que podem encontrar na Biblioteca Municipal Galveias e que diz:

 

"A Humanidade nunca foi educada para a paz, mas sim para a guerra e para o conflito. O "outro" é sempre potencialmente o inimigo. Levamos milhares e milhares de anos nisto. Sempre fomos educados para a guerra, nunca para a paz".

 

 

A boa notícia é que,hoje,  existem boas práticas que propõem uma educação com uma visão integrada de sustentabilidade.

 

Convido-vos a conhecer Jonh Hardy,

 

Grata pela atenção disponibilizada.

 

Helena Gameiro

 

http://www.ted.com/talks/john_hardy_my_green_school_dream.html

publicado por greentalks às 15:36

15
Jan 12

A mudança de comportamentos é um processo demorado, que necessita de um grande envolvimento. Despertar consciências é uma tarefa difícil, mas cabe a cada um de nó actuar enquanto"opinion maker". Fazer as pessoas entenderem o que têm a ganhar ao agirem de forma consciente e sustentável.

 

Apesar de o vídeo não ser muito recente, o tema continua a estar na ordem do dia. Será que o consumidor tem noção do impacte que tem no planeta apenas por beber um galão de manhã?

 

A WWF apresenta um video sobre uma nova perspectiva do consumidor entender de que forma a sua mudança de comportamentos pode fazer a diferença, não só do ponto de vista ambiental, mas também na melhoria da qualidade de vida das populações que integram o ciclo de vida de cada produto/ serviço.

 

 

E nós, de que forma contribuimos para alargar o espectro de consumidores sustentáveis?

 

Acho que este blog tem sido um excelente exemplo e tem demonstrado o interesse, entusiasmo e crença que temos nestes temas.

 

 

Por Adriana Jacinto

publicado por greentalks às 22:27

12
Jan 12

Todos sabemos que o hiperconsumismo é um dos grandes desafios da sustentabilidade, dado que muitas pessoas se habituaram a um estilo de vida onde compras é sinónimo de "felicidade".

O que acontece é que todas estas aquisições são feitas sem ter em conta o fim de utilização do produto, ou o simples passar de moda desse mesmo artigo.

Surge assim o recommerce, onde as pessoas podem entregar os seus produtos antigos nas lojas e adquirir novos. E não se trata apenas de produtos electrónicos.

 

Segundo o TrendWatching este movimento está cada vez a ganhar mais importância junto dos consumidores que optam por um consumo mais consciente e inteligente.

 

Este fenómeno pode ser analisado segundo 3 vectores:"

  1. NEXTISM: Os consumidores vão sempre ansiar pelas experiências novas e emocionantes prometidas por aquilo que está por vir.
  2. STATUSPHERE: O impulso no status que vem de ser esperto e de comprar com responsabilidade (ambiental).
  3. EXCUSUMPTION: Consumidores sem muito dinheiro vivo que adotam soluções criativas. "

Muitas marcas conceituadas estão a adoptar trocas de artigos antigos por descontos ou dinheiro, como a Levis, a GAP. Estas marcas já estão compretidas com esta nova forma de modelo de negócio. Slogans como "Trade your Past" - Levis ou "The one Day Wardrobe Clear Out" - Marks&Spencer, integraram recentemente promoções destas marcas.

 

Este tipo de movimento consegue aliar um reaproveitamento de matéria por parte das marcas na produção de outros artigos, assim como a fidelização dos clientes, dado que estes tem de voltar às lojas.

 

Deixo-vos um exemplo tão conhecido o e-bay, mas na sua versão green:

 

 

"Como parte de sua Common Threads Initiative, a Patagônia, marca dos EUA de equipamento para atividades outdoor, fez uma parceria com o eBay em setembro de 2011 para lançar um mercado oficial onde os clientes podem comprar e vender itens usados. O Slogan: Because the greenest product is the one that already exists "

 

Podem consultar mais exemplos no site do TrendWatching

 

http://trendwatching.com/pt/trends/recommerce/

 

Em Portugal, o TrendWatching.com é representado pela OAK (www.oak-brands.com)

 

 

Patrícia Oliveira

 

publicado por greentalks às 16:00

Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre o Blog
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO