08
Fev 12

A propósito de um post colocado pela Mara, deixo aqui um artigo de uma fábrica nos EUA onde se produz o VW Passat, a Volkswagen Chattanooga. É uma das medidas incorporadas na nova filosofia Think Blue.

Como se referiu no caso da Toyota Prius, não resolve os problemas inerentes à mobilidade e à exacerbada produção industrial que se verifica em quase todo o mundo, mas tenta minimizar alguns dos impactes.

É a primeira fábrica a receber esta certificação Platinum.

 

Fontes:

http://www.prnewswire.com/news-releases/volkswagen-chattanooga-becomes-worlds-first-leed-platinum-automotive-manufacturing-plant-with-design-and-construction-management-from-ssoe-group-138875459.html

 

 

Patrícia Oliveira

publicado por greentalks às 09:25

Todos os que se consideram consumidores conscientes tentam fazer as melhores opções de compra, seja pela empresa escolhida ou pelo sítio onde se compre.

No nosso dia-a-dia tomamos decisões tendo em vista o desenvolvimento da nossa sociedade e do mundo em geral. No entanto é mais fácil decidir quando se está mais perto da comunidade,dado que se conhece melhor a realidade.

Mas e se viesse alguém de fora da comunidade e deitasse a perder os avanços feitos pelas comunidades locais, não por opção consciente mas por falta de informação.

 

Este tipo de situação pode acontecer quando decidimos ir viajar para outro país, conhecer outras culturas, divertir-nos e relaxar. Acontece que ao fazermos estas viagens podemos estar a por em causa as actividades dessas comunidades, dessas cidades ou mesmo dos países.

Esta foi uma das razões porque se criou o GreenPassaport. Esta iniciativa foi desenvolvida pela International Task Force antravés do plano do Desenvolvimento do Turismo Sustentável, tendo a visão clara de que é preciso acelerar uma mudança global de paradigma no consumo e produção sustentável (SCP). Esta preocupação surgiu no  World Summit on Sustainable Development (WSSD), que teve lugar em Joanesburgo em 2002.

 

Através desta iniciativa os viajantes conseguem conhecer a realidade comercial de cada país e as suas actividades mais ou menos sustentáveis. Assim os criadores propõem-se a que não se destrua o trabalho desenvolvido pelas comunidades e apoiem as empresas e locais turísticos que assentem em políticas sustentáveis.

O primeiro destino onde foi implementada a campanha do GreenPassaport foi no Brasil e já se espalhou por outros países.

 

 

Vejam mais em:

http://www.unep.fr/greenpassport/

 

 

Patrícia Oliveira

publicado por greentalks às 08:44

05
Fev 12

O que vos trago é mais um exemplo de como tentar diminuir algum do impacto ambiental criado pelo consumo excessivo.

 

Trata-se de uns tenis produzidos pela New Balance. Estes são produzidos através do reaproveitamento de garrafas de plástico. Estas são cortadas, aquecidas e moldadas de tal forma que cria uma fibra resistente, mas também bastante versátil. Esta tecnologia denomina-se de Eco-fi e consegue melhores propriedades que o algodão e a lã.

 

Todo o processo de produção teve ser alterado, dado que o processo produtivo não utiliza exactamente os mesmos equipamentos, as mesmas agulhas de costura, entre outras coisas.

 

Tal como nos tenis NewSky, esta tecnologia já está a ser utilizada no fabrico de tapetes e interiores de algumas marcas de carros mais alerta para esta temática.

 

 

 

Com este tipo de acção a NewBalance consiguiu criar um produto que tem como objectivo o seu impacte ambiental, dado que nos processos comuns de tenis são utilizados materiais não renováveis, como por exemplo o petroleo para a borracha, ou couros de animais para os tecidos.

 

 

Além disso incentivam os seus consumidores a doar os seus tenis em sitios providos pela NewBalance quando já não os usarem mais. Desta forma tentam fechar o ciclo do produto e assim reaproveitar os tenis para posteriores utilizações.

 

 

 

 

Vejam o video em:

 

http://www.youtube.com/watch?v=TBVnXBNUswo&feature=email

 

 

Fontes:

http://www.newbalance.com/wellness/newsky/recycled-material-and-the-newsky-shoe/

 

http://www.vidasustentavel.net/reciclagem/newsky-o-eco-tenis-sustentavel-feito-de-pet/

 

 

Patrícia Oliveira

 

 

 

publicado por greentalks às 16:55

04
Fev 12

Hoje em dia a maior dificuldade das inicitiavas das empresas prende-se com a comunicação. Quando se pretende comunicar ao cliente que o seu produto resulta de facto resultado de uma actividade e estratégia sustentável, é fundamental que o consumidor tenha confiança na informação transmitida.

 

O que vos trago aqui não é nada de verde, ainda, mas creio que seria uma optima forma das empresas conseguirem informar os seus clientes tendo em conta o nivel de detalhe que os consumidores pretendessem ter.

Este tipo de tecnologia denomina-se de Point&Know, onde quem tem o programa de identificação de artigos, pode apontar e saber o que quiser desse produto.

 

As empresas que se pretenem destacar das outras através da forma de produção sustentável e comércio justo, poderiam utilizar tecnologia deste tipo para conseguir introduzir os seus produtos e respectivas características em base de dados. Esta acção teria como objectivo proporcionar maior informação fidedigna no acto de uma potencial compra.

 

Acrescenta-se ainda o facto de segundo a TrendWatching revelar uma nova tendencia de POINT&KNOW&BUY. Onde automaticamente a pessoa acedia à informação de produtos e conseguiria comprar caso ficasse convencido pela descrição do artigo "apontado".

 

Penso que este seja um campo a explorar, dado que uma das maiores razões para as pessoas não comprarem os produtos verdes, para além de poder de compra, relaciona-se com a falta de informação clara e acessivel dos produtos.

 

Deixo-vos o link onde podem consultar alguns dos Point&Know de algumas empresas e produtos.

 

http://www.trendwatching.com/pt/trends/12trends2012/?pointknow

 

Patrícia Oliveira

 

publicado por greentalks às 16:38

01
Fev 12

Corria o ano de 1999 em que a Ford optou por obter a certificação Cradle-to-cradle em Michigan, Estados Unidos na sua unidade fabril de 5,5 hectares – durante o projeto foi concebido um telhado verde que assim absorvia e conduzia as águas da chuva, desenvolveu-se a fotoremediação que consistia em plantar espécies que decompunham componentes tóxicos decorrentes do processo fabril e, por fim, o bem-estar dos trabalhadores foi tido em conta uma vez que passou a haver luz natural dentro da fábrica.


Agora a Ford traz o conceito para a Europa onde, nas suas fábricas pretende reduzir a produção de resíduos em 70% e a água em 30% nos próximos cinco anos contribuindo assim para uma produção mais verde onde certamente será utilizado o know-how adquirido em Michigan, optimizando assim as fábricas na Bélgica, Espanha, Alemanha e mais três no Reino Unido traduzindo-se em poupanças anuais na ordem dos €2,3 milhões. 

 

Fontes:

Diário Económico, Ford anuncia plano de cinco anos para tornar fábricas europeias mais ecológicas, p 27, 31 Janeiro 2012

http://www.ionline.pt/mundo/ford-anuncia-plano-cinco-anos-fabricas-verdes

http://www.mcdonough.com/writings/restoring_industrial.htm   

 

Por Daniel Souza

 

 

 

 

 

publicado por greentalks às 01:15

Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Sobre o Blog
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO